Menu

Sesc apresenta projeto Interculturalidade e Educação Musical

O Sesc Interculturalidade e Educação Musical – caminhos e possibilidades para uma Circulação Cultural Musical – pesquisa e ação  foi idealizado pelo Sesc Nacional, com abrangência nos quatro Estados do Paraná, Espirito Santos, Alagoas e Acre.
O Projeto visa proporcionar aos alunos, professores e comunidade geral vivência que lhes apresente alguns conceitos essenciais na área da música, e da cultura em geral, destacando a importância do significado cultural dos estilos musicais regionais, dos instrumentos típicos, e das suas funções na sociedade humana.
A Interculturalidade, enquanto conceito propõe um caminho de respeito pelo plural, interação cultural, compreendendo o outro e valorizando principalmente seu mundo, suas crenças, singularidades, valores e culturas, são convidados a exercer sua voz.

Apresentações
A proposta consiste na realização de apresentações artísticas com artistas acreanos, contribuindo para que os alunos aprendam a riqueza musical silenciada pelas grandes mídias, mas que possui uma proposta de resistência às tradições, sendo preservada enquanto patrimônio imaterial da tradição oral (reisados, marujada, boi, criando ritmos e sotaques desconhecidos e pouco valorizados pela cultura local).
Dentre as diversas ações, destacamos ainda o papel de formação de plateia e em atendimento à Lei 11.769 de 18/08/2008 que altera a LDB e prevê que a música faça parte da matriz curricular da Educação Básica como componente obrigatório, o que abre espaço também para intervenções de atividades musicais extraclasses que contribuam para ampliar o universo cultural dos alunos.
De acordo com um mapeamento feito pelo mediador Alexandre Anselmo com 10 anos de sondagens e experiências, obedecendo a critérios de urgência de registro, de reconstituição e interação comunitária, foi escolhido os seguintes grupos / artistas / mestres / comunidades.
“Seu Bima e banda Uirapurú: oficina baques do Acre, Grupo Mariri da Aldeia Morada Nova Shanenawa, Marujada Brig. Esperança, oficina de marujos, povo Manchineri e os instrumentos Aruak,  Família sabiá, forró pros arigós, Show música sem fronteiras:  seu Bi e parteira Zenaide e a musica do vale do Juruá estrão presentes neste projeto”, disse Anselmo.

back to top

O SESC